Por mais óbvio que possa parecer, esse tema é ao mesmo tempo simples e complexo, pois causa impacto diretamente em nosso futuro. Já parou para pensar que nossa vida inteira é feita de escolhas, o tempo todo? E que cada escolha que fazemos escreve um novo amanhã? Quem assistiu ao filme “Efeito Borboleta” (The Butterfly Effect (2004) – Europa Filmes), que tem como base a Teoria do Caos (causa e consequência), consegue imaginar tudo o que pode acontecer no futuro com base nas decisões do presente.

 

Pensando nisso, decidi trazer esse intrigante tema para esse artigo, de forma que possamos refletir um pouco mais sobre a responsabilidade do nosso livre-arbítrio, bem como, principalmente, a maturidade de nossas escolhas.

 

Não adianta, vamos amadurecendo e nos tornando cada dia uma versão melhor de nós mesmos (tema da 21ª edição, da Revista Corretora do Futuro, pág. 5). Dessa forma, as escolhas que fazemos têm consequências futuras que impactam diretamente em nosso “EU” mais maduro. Olhar para trás e se arrepender não soluciona o presente, pois a decisão tomada, já é página virada. É como andar por uma estrada com várias bifurcações. Temos que escolher qual caminho seguir. Ao escolher o lado ‘A’, o lado ‘B’ fica para trás (“Cada escolha, uma renúncia”*). Logo mais adiante haverá uma nova bifurcação com mais uma escolha, e assim sucessivamente. Como disse Chico Xavier: “Você não pode voltar atrás e fazer um novo começo, mas você pode começar agora a fazer um novo fim.”

 

Diante disso, sabemos que nosso imutável passado deve servir apenas de aprendizado, pois voltar no tempo é obra da ficção, e, portanto, não podemos e nem devemos nos torturar como se nossos erros fossem uma sentença eterna. Pensando dessa forma, nossas decisões sempre devem ser pautadas no caminho que desejamos trilhar, sabedores (óbvio) que haverá impacto em nosso futuro.

VOCÊ NÃO PODE VOLTAR ATRÁS E FAZER UM NOVO COMEÇO, MAS VOCÊ PODE COMEÇAR AGORA A FAZER UM NOVO FIM

Chico Xavier

Quando decidimos pelas amizades, relacionamentos, estudos, cursos, trabalhos, parcerias, enfim, em todas as escolhas de nossas vidas, é importante ter como base fundamental nossos valores. Sim, nossos valores são (e devem ser) o alicerce que nos conduz para as melhores escolhas. Sabemos que não é possível acertar 100% das vezes, bem como, comentar resultados ou resolver a vida alheia parece ser muito mais fácil do que tomar decisões para a nossa própria vida.

 

Que tal assumir a responsabilidade das decisões com base nos valores que estão em nós enraizados? Se ainda não estão evidentes ou se estão adormecidos, faça uma reflexão sobre quais são os seus valores. O que você valoriza e o que não suporta? Qual a sua verdade ética e moral? O que deseja para seu “EU” no futuro? Dessa forma, certamente suas próximas escolhas serão muito mais assertivas e poderemos enfim, atingir a fórmula mágica: acertar bem mais do que errar.

* Trecho da música “Lutar pelo que é meu” de Charlie Brown Jr.

 

 

Fonte: ARTIGO PUBLICADO NA REVISTA CORRETORA DO FUTURO

26ª edição | ano 5 | 2019 | jan/fev/mar