NÃO PODEMOS FALAR DE UM MUNDO MAIS CALMO, MENOS ESTRESSANTE, SEM NOS ACALMARMOS INDIVIDUALMENTE

Marlise Ferreira

Você tem o hábito de cuidar de você mesmo? Nossas vidas são extremamente ocupadas, cheias de atividades e compromissos a cumprir. Normalmente, nossa agenda está marcada com uma lista de coisas para resolver em num só dia, mas você já parou para observar se tem alguma atividade no seu dia que inclua você? Algum momento que seja apenas seu?

 

Estamos extremamente condicionados a atender às demandas dos outros, do trabalho, dos filhos, da família, amigos etc. E de fato, poucas vezes nos incluímos nessa imensidão de atividades diárias. Você pode pensar, mas eu faço atividade física e isso é para mim, sim pode ser… mas quando você faz qualquer atividade com a consciência de que este é um tempo só seu e que neste momento nenhuma distração deve entrar, daí sim, é o seu momento do dia sagrado. Para que sintamos o efeito do autocuidado é preciso incluir a consciência, a entrega ao momento, ou seja estar presente de corpo e alma. Mas não são só atividades de grandes movimentos que podem ser consideradas autocuidado. Existem ações muito pequenas que ajudam a ter um dia melhor.

 

O autocuidado deve ser nosso maior compromisso e pode ser muito simples: momentos do dia de reflexão, de se questionar se o dia está correndo de um jeito que traz felicidade, se você está relaxado, se tudo está caminhando como planejou. Identificar como estamos nos sentindo no momento presente, é fundamental para discernirmos que vida queremos levar e tomarmos nossas decisões com base na autopercepção.

No livro ‘Um minuto para mim’, de Dr. Spencer Jhonson, o autor propõe que  durante o dia tiremos um minuto para perguntar: “Há neste exato momento uma maneira melhor de eu cuidar de mim mesmo? “Ao administrar nosso tempo e nossa vida equilibrando os cuidados conosco mesmos, com a família, amigos e trabalho tudo parece fluir e nos sentimos mais harmônicos. Para nos tornarmos mais felizes precisamos assumir a responsabilidade de cuidar de nós mesmos, não querendo salvar o mundo e também não transferindo para os outros a responsabilidade de nos fazer feliz.

 

Quando cuidamos melhor de nós, automaticamente sentimos a necessidade de cuidar de quem amamos e nos importamos. Ao nos sentirmos felizes e tranquilos, passamos a nos sentir bem dispostos em relação aos demais. É importante, também, estimularmos quem está próximo de nós a também cuidar de si, assim criamos uma corrente do bem. Cuidar torna os relacionamentos muito mais saudáveis e fortes para se evitar conflitos maiores.

 

Parar, olhar e ouvir a melhor parte de nós mesmos, eis a proposta, pois a resposta sempre vem! Quando todas as pessoas do mundo cuidarem melhor de si mesmas, todas se sentirão mais bem cuidadas, e poderemos finalmente começar a cuidar mais um do outro. A paz do mundo começa em nós. Não podemos falar em um mundo mais calmo, menos estressante, sem nos acalmarmos individualmente. Coloque o autocuidado na sua agenda a partir de hoje. Experimente! Nenhuma leitura muda nossas vidas se apenas concordarmos intelectualmente. Na vida tudo exige experimentação.  Responda-se: “Há neste exato momento uma maneira melhor de eu cuidar de mim mesmo?” Fiquem bem! Até a próxima edição.