FEEDBACK: dê e receba sem moderação!

Mas afinal, o que é feedback? É uma palavra inglesa que significa realimentar ou dar resposta a um determinado acontecimento. Existem pessoas que ainda têm uma certa dificuldade em lidar com feedbacks, principalmente com aqueles que apontam suas falhas. Há muito tempo eu digo que só quem realmente gosta de você, tem coragem de expor seus defeitos, por mais simples que eles sejam. Sabe aquele colega que chama você de canto para dar um toque sobre seu mau hálito ou para avisar que seu desodorante venceu? Não o queira mal, muito pelo contrário. É essa pessoa que você deve manter sempre ao seu lado, afinal, falar o que a maioria não lhe falaria, é um claro sinal que está diante de alguém que se preocupa com você e quer o seu melhor.

Convivo há 35 anos com a minha mulher e, mesmo com tanto amor envolvido, nunca tive dúvida em afirmar que ela é disparadamente minha maior crítica. Sempre apontou meus pontos de melhoria, em qualquer situação, e, também, sempre reconheceu e valorizou meus pontos fortes. Toda vez que ouço algum dos seus apontamentos, mesmo quando não concordo, penso e reflito sobre o assunto. Não impedir que ela me criticasse ao longo dos anos, criou em ambos uma relação de extrema confiança que me permite um desenvolvimento contínuo, tanto na vida pessoal, quanto profissional.

Dar feedback é um desafio, pois precisamos entender as outras pessoas e a maneira como elas reagem para aprimorar nossa capacidade de dar retorno. E ser capaz de fazer uma leitura das outras pessoas não é uma habilidade inata, mas algo que precisamos desenvolver. Vencendo o desafio, estabelecemos um processo de compreensão, respeito e confiança em uma relação. Normalmente as pessoas relutam em acreditar que dar feedback positivo seja de fato mais importante do que dar feedback corretivo. Somos, em geral, rápidos em apontar os erros dos outros e lentos em reconhecer seus acertos.

 

FÁCIL É SER COLEGA, FAZER COMPANHIA A ALGUÉM, DIZER O QUE ELE DESEJA OUVIR. DIFÍCIL É SER AMIGO PARA TODAS AS HORAS E DIZER SEMPRE A VERDADE QUANDO FOR PRECISO. E COM CONFIANÇA NO QUE DIZ

CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE

Imagine que você está perdido em uma densa floresta. Você quer e precisa sair dali o mais rápido possível, mas não faz ideia de qual caminho deve seguir. Você olha em volta e milagrosamente encontra um mapa que mostra precisamente onde estão as saídas. Ótimo! Agora é só pegar o mapa e seguir em frente, certo? Não exatamente! Antes de qualquer coisa é preciso saber onde você está, em que ponto da mata densa você se encontra para saber qual caminho deve percorrer. Quando falamos do universo corporativo, as coisas não são muito diferentes. Em qualquer circunstância, para que você encontre o melhor caminho, escolha as melhores opções e execute as melhores estratégias. Em primeiro lugar, você deve saber onde está. A melhor e mais efetiva maneira de sabermos como chegar onde queremos é entender onde estamos. Se sua reação frente aos feedbacks é de indiferença, provavelmente não haverá mudança em seu comportamento. Receber um feedback pode gerar um incômodo. Canalize esta energia para conseguir provocar uma mudança positiva em sua maneira de ser. Analise e reflita sobre suas atitudes. A falta de feedback – ou o mau uso dele – pode dificultar e, muito, nossas relações, pois ele tem um papel central em nossa vida, regendo nossos esforços e estímulos. Por tudo isso posso afirmar com certeza: Feedback: dê e receba sem moderação!

 

Fonte: ARTIGO PUBLICADO NA REVISTA CORRETORA DO FUTURO

28ª edição | ano 5 | 2019 | abr/mai/jun