Nunca a RESPIRAÇÃO CONSCIENTE foi tão importante

Em 2011, participei de um curso de uma ONG indiana que se chama Arte de Viver, lá eles habilmente nos ensinavam uma técnica de respiração para alívio do stress, ampliação de consciência e para a vivência do momento presente. Desde então, além da técnica, que utilizo em momentos de muita pressão, aprendi e incorporei na minha vida os ensinamentos da vivência do momento presente, que hoje em dia é bastante conhecido por meio do mindfulness, ou atenção plena. Além da prática pessoal, a respiração consciente passou a ser a base do meu trabalho como Life Coach integrativa, por apresentar resultados impressionantes.

 

Nestes últimos tempos, com a pandemia do coronavírus, nossa vida virou de cabeça para baixo e, num cenário de incertezas tão absurdamente desafiador, a respiração consciente nunca foi tão importante. Uma ferramenta que está ao alcance de todos, basta para isso tomar consciência que o seu uso traz benefícios imediatos. Quando estamos passando por situações de estresse ficamos submersos em nossos pensamentos, medos e inseguranças, e acabamos “esquecendo” de respirar, na verdade nossa respiração acaba ficando muito curta e isso leva pouco oxigênio para o cérebro nos deixando ainda mais confusos e irritados.

 

Um dos grandes legados do momento é que, queiramos ou não, vamos precisar nos reinventar, aprender novas saídas para velhos desafios. Uma mente carregada de futuro, ideias de projeção nos leva a ansiedades, uma mente carregada de lembranças, de passado, pode nos levar à depressão. Quando nos focamos no presente por meio da atenção que damos à nossa respiração, observamos que, lentamente, vamos tomando as rédeas de nossas emoções e acalmando a mente.

 

Experimente agora: inspire bem profundamente enchendo o pulmão de ar, trazendo do abdômen até o peito, sinta a ampliação nos pulmões que recebe com uma maior quantidade de ar. Segure alguns segundos e solte bem devagar, deixando sair ainda mais ar do que entrou. Repita este exercício de 3 a 5 vezes e vai sentir os efeitos imediatamente. Permita-se! Sei bem que, às vezes, temos resistências para certas coisas e também sei que muitos já utilizam a respiração para ajudar no alívio das tensões, mas o que muda tudo é a consciência. Se você se permite utilizar a respiração de maneira consciente, você verá que os resultados são ainda melhores. Se você escolhe usar a respiração consciente como uma ferramenta e uma aliada no seu equilíbrio emocional, você irá perceber a força que ela toma.

QUANDO NOS FOCAMOS NO PRESENTE POR MEIO DA ATENÇÃO QUE DAMOS À NOSSA RESPIRAÇÃO, OBSERVAMOS QUE VAMOS TOMANDO AS RÉDEAS DE NOSSAS EMOÇÕES E ACALMANDO A MENTE

Marlise Ferreira
Life Coach

Você pode praticar no seu dia a dia, quando acorda pela manhã, toda vez que se sente angustiado, agitado, quando trava as ideias, quando terá um compromisso importante, ou simplesmente quando quer estar mais presente no aqui e agora. A respiração tem este poder, quando você presta atenção nela, ela te traz para o momento presente.

As exigências da vida cotidiana tendem a trabalhar contra a nossa tomada de consciência, por isso que de maneira geral vivemos no piloto automático e podemos utilizar as distrações e pressões do dia a dia como uma ótima desculpa para não cuidar de nós mesmos. Mas a pandemia está nos obrigando a parar, a diminuir o ritmo, então, podemos aproveitar a pausa e incluir em nossas rotinas ferramentas que nos ajudarão daqui pra frente.

Sim, porque vamos precisar de novos caminhos para nos sentir menos tensos e ter mais clareza para pensar no futuro e programar nossa vida a partir de uma nova realidade que se abrirá para todos nós. Se ela for mais difícil, ainda mais desafiadora, poderemos utilizar desta angústia para criar novas formas de ser e estar no mundo. Praticar ferramentas de autogestão emocional significa assumir o compromisso com você mesmo de simplesmente ser. Ser… sem ter que…

Um grande abraço e até a próxima! Siga-me nas redes sociais: @marliseferreiracoach

 

Fonte: ARTIGO PUBLICADO NA REVISTA CORRETORA DO FUTURO

31ª edição | ano 6 | 2020 | jan/fev/mar