Em cada fase da nossa vida, temos prioridades e objetivos diferentes. Independentemente de quais sejam, um seguro de vida bem contratado, com as coberturas corretas, vai se adequar perfeitamente para cada fase que estamos vivendo.

Ter um seguro de vida vai muito além do que deixar uma indenização, um amparo ou uma continuidade caso venha a faltar a quem se ama – é também um ato de cuidado consigo mesmo. Sempre digo que a cobertura básica de morte é sim uma cobertura importante do seguro, pois garante seu bem mais precioso: sua vida! Mas hoje temos a possibilidade de adquirir coberturas e assistências, disponíveis em diversos produtos no mercado, que nos oportunizam escolher como queremos nos proteger, caso algum imprevisto ocorra.

Quando penso em seguro de vida, costumo dividir em quatro grandes fases a nossa própria vida: formação, construção, responsabilidade e estabilidade.

A fase da formação é quando estamos criando a base para nosso futuro, como: cursando uma graduação, constituindo um negócio próprio, ou iniciando no primeiro emprego. É aquele momento que já começamos a entender para onde queremos ir e que muito em breve teremos novas responsabilidades, principalmente financeiras.

Na fase da construção já terminamos ou já está se consolidando o que iniciamos na fase de formação: concluímos o curso superior, ou nosso negócio já passou da etapa inicial do sufoco, ou temos um emprego mais estável, estamos pensando ou já estamos construindo uma família. É um momento de muito trabalho, e estar com a saúde em dia é crucial.

As duas próximas fases podem levar um tempo bem maior ou bem menor dependendo do que foi realizado na fase da construção.

ALÉM DE SER ACESSÍVEL, O SEGURO SE MODERNIZOU E HOJE DISPONIBILIZA UMA GAMA DE COBERTURAS E ASSISTÊNCIAS QUE TAMBÉM PODEM SER UTILIZADAS EM VIDA

Bruna Rafaela Schewinski
Gerente de Mercado da Rede Lojacorr

A fase de responsabilidade é quando se tem filhos que dependem de você e que sua renda seja essencial e, em alguns casos, a única para manter sua família. Talvez seja a fase que você menos queira passar por instabilidades, pois a responsabilidade de fato é muito grande.

Já a fase da estabilidade tem tudo para ser a mais tranquila da sua vida, não que seja uma regra para todos, mas os filhos já devem estar seguindo suas vidas por suas próprias pernas, você já conseguiu adquirir alguns bens que te trouxeram mais estabilidade, como a casa própria, talvez você já esteja até aposentado. É aquela fase em que a carga de responsabilidade pode diminuir e muito.

É claro que estas quatro fases são vividas diferentemente pelas pessoas. Cada um pode passar muito mais tempo em uma fase do que o outro, alguns podem até “pular” uma ou outra, mas a grande maioria passará por todas elas, inclusive você vive alguma delas no momento. O objetivo do seguro é te acompanhar nessas fases, te dando a proteção necessária caso ocorra algo inesperado.

O seguro de vida se tornou muito acessível, hoje pode ser realidade para todos, independente da fase da vida em que esteja existe a possibilidade de contratá-lo. Claro que custo e regras de aceitação se tornam mais específicas quando se tem idade avançada e saúde comprometida. Lembre-se: seguro é prevenção! E prevenção quanto mais cedo começar, melhor!

Além de ser acessível, o seguro se modernizou e hoje disponibiliza uma gama de coberturas e assistências que também podem ser utilizadas em vida, deixando para trás a lenda de que seguro de vida não tem benefícios para o próprio segurado. Coberturas que garantem uma renda em caso de incapacidade temporária ou que gerem uma indenização caso seja diagnosticado com alguma doença grave, já estão dentre a mais solicitadas no momento da contratação.

Você já pensou em que fase está? E seu cliente/segurado? Ele já tem proteção para seu maior bem?

 

Fonte: ARTIGO PUBLICADO NA REVISTA CORRETORA DO FUTURO

31ª edição | ano 6 | 2020 | jan/fev/mar