“SE LEMBRAR DE CELEBRAR MUITO MAIS…”

O TEATRO MÁGICO

Celebrar vem do latim celebrare, “honrar, fazer solenidade”, de celeber, “o que é várias vezes repetido”, logo, “notado, percebido, famoso, digno de honras”. É o mesmo que comemorar, rememorar, lembrar novamente.
Na cultura presente, marca ciclos, como os aniversários, acompanha rituais, por exemplo, formatura, casamento. Enaltece datas especiais – Dia dos Pais, Mães, Amigos, Namorados, Avós…

Muitas vezes vem após a sensação de alívio, ter finalizado/vencido um desafio, seja ele financeiro, social, de saúde. Está associado a reconhecer conquistas, a sinalizar o que deu certo, aumenta as chances de as conquistas voltarem a acontecer, reforça que o comportamento pode ser repetido/mantido/aumentado.

Comemorar auxilia a reduzir ansiedade, direciona para o acerto (foco na solução), melhora autoestima, aumenta neurotransmissores responsáveis pela sensação de bem-estar, principalmente a dopamina e serotonina. Se for acompanhado de contato social, dança e música, também aciona a oxitocina e a endorfina.
E olha que legal: não são apenas as grandes comemorações que ativam estes neurotransmissores. Ações simples, como descritas na figura, podem auxiliar a gerar esta sensação de prazer que, consequentemente, melhora a imunidade (pois reduz estressores), a socialização (fica-se mais propenso a buscar contatos, gerando os benéficos do networking), o humor (reduz a probabilidade de depressão, ansiedade), a cognição (melhora a atenção, memória, raciocínio).

Talvez, seja de se pensar que o momento que vivemos, a pandemia, não tenha motivos para celebrar, que pode parecer frieza ou falta de empatia. Mas, podemos comemorar, sim! A cada pessoa que se cura da Covid-19, a cada fase bem sucedida dos testes da vacina, a cada aprendizado, a cada emprego mantido, ao projeto adaptado, às pequenas conquistas.

Isto pode auxiliar a nos manter bem e vivos, a sinalizar para cada célula de nosso corpo que está valendo a pena, que podemos continuar e a focar na solução.

Finalizo este artigo desejando a todos muitos motivos para celebrar!

 

Fonte: ARTIGO PUBLICADO NA REVISTA CORRETORA DO FUTURO

33ª edição | ano 6 | 2020 | jul/ago/set