Dezembro fecha com quase 30% de aumento na produção geral da Rede Lojacorr

Produção do ano supera a marca dos R$ 735 milhões

O último mês de 2020 alcançou um crescimento de 29,69% na produção geral da Rede Lojacorr, maior rede de corretoras de seguros independentes do País. O índice equivale a produção geral de R$ 68.307.731,52, sendo comercializados em Seguros R$ 63.744.300,46 (+31,00%); Consórcios R$ 2.484.032,00 (-1,54%) e Demais Segmentos R$ 2.079.399,07 (+39,77%) no mês de dezembro de 2020. No acumulado do ano (jan-dez 2020), a Rede Lojacorr superou a marca dos 735 milhões, o equivalente a +25% de aumento em relação a 2019. Já o crescimento da venda anual dos planos de consórcios no ano apresentou uma evolução positiva de 21,44%.

 

Em dezembro, 11 novas corretoras de seguros entraram na Lojacorr, sendo duas na segmentação Ouro, duas na Prata, quatro na Bronze, três na Light e 11 novos prepostos, sendo que houveram novas entradas nas quatro Regionais do País. Além disso, 90% das corretoras da Rede cresceram, com destaque para: M & S, M & K, Viconseg, Rosa Tavares, SACS, Henkan, Ovnis, Rioseg Rio Pardo, Trancaforte e Afirmativa.

 

Das companhias parcerias, 96% também tiveram êxito, com destaque para: Mapfre, Tokio Marine, Bradesco, Zurich, Mitsui, Sompo, Amil, Unimed, Alfa e SulAmérica. Crescimento também teve 49 unidades da Rede, com destaque para: Ribeirão Preto, Maringá, Campinas, Chapecó, Triângulo Mineiro, Belo Horizonte, São Paulo, Mato Grosso, Maranhão e Vale do Aço.

 

Todos os principais ramos comercializados expandiram, com destaque para: Rural 227%, Riscos Diversos Equipamentos 139%, Responsabilidade Civil 105%, Saúde 52%, Empresarial 43%, Vida 39%, Auto 27%, Prestamista 26%, Residencial 17% e Condomínio 14%. Foram registrados 41.173 documentos e foram protocolados 7.616 a mais que em dezembro de 2019.

 

De acordo com o diretor Comercial da Rede Lojacorr, Geniomar Pereira, a performance vem ao encontro do fortalecimento diário da Rede e da constante busca pela evolução com foco no corretor de seguros e no usuário do sistema da proteção brasileiro. “Temos hoje a convicção de que, em todos esses meses, crescer dois dígitos nesta fase tão complicada, é um grande feito perante o mercado de seguros nacional. Mas continuamos percebendo que não podemos afrouxar, sendo necessária a medição diária de produção, protocolos, cancelamentos, percentual de renovação, sobre qual companhia indica a maior perda e de qualquer outro indicador que faça sentido para uma rápida tomada de decisão. A dedicação terá que permanecer intensa”, explica o gestor.

 

Fonte: JRS